Joaquim Manuel de Macedo | 1844 | Skoob | Classificação: 5/5

Olá leitores! Como estão? Dei uma ~sumida~ mas voltei! E voltei com TUDO! Hoje tem resenha de um livro suuuper especial *---* Foi uma das minhas primeiras leituras. A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo, um verdadeiro clássico brasileiro. Esse livro é um romance lindo, lindo! Muito sútil e apaixonante. Quem ainda não conhece vai terminar de ler essa resenha com vontade de conhecer o mais rápido possível.

Eu escolhi resenhar A Moreninha porque estou meio nostálgica haha, lembrei o quanto amei a leitura, o quanto esse livro foi importante pra mim. Tanto que li diversas vezes. 

Escrito em 1844, o livro narra a história de quatro jovens estudantes de medicina - Filipe, Leopoldo, Augusto e Fabrício - que vão passar um tempo na casa da avó de Filipe, que fica na Ilha de Paquetá. Augusto é um jovem inconstante, não se relaciona sério com nenhum moça, por isso seus amigos decidem realizar uma aposta. Caso Augusto consiga se apaixonar, terá que escrever um romance contando a história.


A partir daí se inicia as aventuras e desventuras de Augusto, logo que chegam na Ilha ele conhece a jovem impetuosa e teimosa Carolina, irmã de Filipe, de apenas 14 anos, mas muito esperta para idade. Ambos se tornam próximos e nós leitores já podemos ver os sininhos do amor batendo para eles. Mas, apesar do livro ser previsível e cheio de inocência, não é tão fácil assim. 

O amor é um demoninho que não pede pra entrar no coração da gente e, hóspede quase sempre importuno por pior trato que se lhe dê, não desconfia, não se despede, vai-se colocando e deixando ficar, sem vergonha nenhuma, faz-se dono da casa alheia, toma conta de todas as ações, leva o seu domínio muito cedo aos olhos, e às vezes dá tais saltos no coração que chega a ir encarapitar-se no juízo; então, adeus minhas encomendas!

Augusto não se relaciona com nenhuma moça por uma razão: se apaixonou por uma jovem há uns anos e lhe prometeu fidelidade, desde então não consegue esquecê-la. Divido entre a promessa e o amor que sente por Carolina, Augusto sofre entre duas jovens. Após algumas reviravoltas, o mistério é resolvido e temos o final feliz.

O livro é considerado o primeiro romance romântico do Brasil, por isso o amor descrito por Joaquim Manuel de Macedo é tão puro, doce e inocente. Completamente idealizada e perfeita, a história pode ser cansativa devido a linguagem em que foi escrita, alguns consideram a leitura massante e lenta. Eu discordo, acho o livro de uma pureza incrível, a leitura pode ser mais devagar, mas vale muito a pena.


4 Comentários

  1. O único clássico propriamente dito que li na vida foi Dom Casmurro e amei a experiência. Com dificuldade pra ler, eu li Ensaio Sobre a Cegueira e apesar do tempo demorado para lê-lo foi quase que mágico ler um livro inteiro em português de portugal e ainda mais um livro sem nenhuma (NENHUMA!) fala. Enfim, recomendo os dois, mas me interessei muito por Moreninha, ainda mais porque tenho ele na minha estante ♥

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca li Machado de Assis, acredita? A Moreninha é meu amorzinho haha <3

      Excluir

  2. Ótima resenha!

    Beijos;
    Jesse Lira | www.jesselira.com.br

    ResponderExcluir